COMO INSERIR O NATAL (E OUTRAS DATAS COMEMORATIVAS) NO ROTEIRO

Tempo de leitura: 3 minutos

Estamos na época de Natal, e esse é um período do ano muito retratado em filmes e séries. Lembra dos clássicos “Esqueceram de Mim” e “A Felicidade Não se Compra”? Algumas séries de TV têm – em todas as temporadas – pelo menos um episódio que se passe no Natal. O personagem Seth de “The OC” inclusive chegou a criar dentro do universo da série o feriado “Chrismukkah” para conciliar o Natal (Christmas, em inglês), comemorado por sua mãe, cristã, com o Chanucá (Hanukkah, em inglês), celebrado por seu pai, que é judeu.

Inúmeros roteiros inserem suas histórias no contexto natalino. Então, vale a pena analisar como o Natal pode contribuir narrativamente e como ele pode impactar na vida dos personagens. Antes disso, é importante ressaltar que existem pessoas que gostam do Natal, assim como há quem deteste e tenha fortes críticas à data. Provavelmente, alguns roteiristas querem que suas histórias passem longe do Natal, mas também há aqueles que enxerguem esse momento do ano como uma possibilidade narrativa. É uma questão que depende de diversos fatores como preferência, objetivo e perfil de cada roteirista.  

Para quem pretende criar uma história que ocorra durante o Natal, é interessante perceber que a perspectiva que se tem sobre a data pode modificar a forma como a narrativa será contada. Por exemplo, talvez você queira utilizar o Natal como ferramenta para abordar temas como união, família, esperança, amor e amizade. No entanto, talvez você deseje trazer um tom mais crítico e colocar o Natal como uma época em que os personagens são tomados pelo consumismo e o lado mais egoísta de cada um é revelado. Ou então, você também pode criar conflitos familiares, fazer os personagens revelar segredos que irão arruinar a data.

Enfim, as possibilidades são infinitas, mas você precisa ter em mente que tudo partirá da sua proposta, do que você busca transmitir com a sua história. Pergunte-se antes de escrever seu filme ou episódio: por que eu quero escrever sobre o Natal? O que ele vai acrescentar à minha história? Quais sensações quero transmitir? Quais temas pretendo retratar?  Como essa data pode fazer esses temas emergirem? Quais aspectos, costumes, tradições dessa data podem me auxiliar a retratar esses temas? O desfecho em relação ao Natal será otimista, pessimista, crítico? Qual é o meu objetivo, a minha proposta?            

Essa lógica pode ser seguida em outros eventos ou datas comemorativas como, por exemplo, aniversários, festas de casamento, formaturas. Esses momentos fazem parte da vida de muitas pessoas, portanto eles podem ter um impacto muito forte no público – podem trazer emoções, lembranças, esperança (como é o caso de “A Felicidade Não se Compra”, que tem um tom inspiracional bastante forte) e identificação. Cabe ao roteirista então saber como a sua história pode utilizar essas datas como uma ponte até o público.

E você já escreveu alguma história que se passe no Natal? Gostaria de escrever alguma?

Gosta de algum filme ou série que tenha algum episódio que ocorra durante o Natal?

Conte pra nós aqui nos comentários!

 

1 comentário


  1. Olá. Estamos produzindo um curta com roteiro q escrevi que envolve o natal… data significativa e que mexe com sentimentos negativos e positivos…mas mexem sempre….

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *